Capa » Cidades » Cubatão contra 110 médicos para prontos-socorros

Cubatão contra 110 médicos para prontos-socorros

A Prefeitura de Cubatão iniciou a contratação de 110 médicos para os plantões dos prontos-socorros Central e Infantil, no Sistema de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e no serviço de psiquiatria de urgência. “Isso deve normalizar o atendimento. Voltaremos a ter uma excelência de qualidade que perseguimos há muito tempo”, anunciou o secretário de Saúde Benjamin Rodriguez Lopez.

A contração de emergência ocorreu devido ao fato de a gestora de serviços de saúde e administração hospitalar Pró-Saúde, contratada pelo Município para gerenciar o Hospital Municipal, ter decidido não mais pagar o salário dos médicos que atuam na urgência/emergência.

Segundo Lopez, com os novos profissionais, contratados por intermédio de outra empresa, a cada plantão de 12 horas no PS Central, o usuário contará com oito médicos. “Teremos atendimento de plástica, ortopedia, emergência – que atende quem chega de ambulância -, e também médicos para atuação na unidade semi-itensiva”. O secretário esclareceu que os 27 médicos da rede básica do Município continuarão trabalhando normalmente nos PS Central e Infantil.

“Até o final da semana todos os plantões estarão cobertos e o atendimento já voltará ao normal”, garantiu o secretário, enfatizando que “o PS Central é o único pronto-socorro da região que não tem um único doente em cima de uma maca. Todos estão em quartos ou vão para o hospital acima da permanência de 12 horas. Não temos esse desatendimento”.

Por determinação da prefeita Marcia Rosa, Benjamin Lopez determinou um corte de 25% no contrato da Pró-Saúde. “Já que não presta mais esse tipo de serviço (urgência e emergência), não achamos justo pagar nos mesmos moldes. Além do que, a Pró-Saúde não atingiu várias metas que o novo contrato determinava. Estamos reduzindo o pagamento de maneira unilateral”.

upa-visita-da-prefeita-6089

Autor: Local

Posts Similares